BALÃO JUNINO: É BOM QUE ESSA NOVA GERAÇÃO (que não se importa quase nada sobre esse costume), SAIBA O PORQUE DA SUA ESSÊNCIA E  IMPORTÂNCIA NA CULTURA E ARTES POPULARES NO BRASIL.

Se soltamos balões até hoje, foi graças aos povos ibéricos (principalmente os portugueses), que nos trouxeram essas tradições religiosas, com raízes profundas no cristianismo, e, profanas ao  mesmo tempo, ao nosso povo.

É certo, é histórico, provado definitivamente, cientificamente através de novas descobertas, que o balão de papel impulsionado pelo ar quente, foi obra da milenar civilização chinesa, e que, posteriormente foi introduzida na Itália pela família Polo (aquela do famoso mercador Marco Polo), que conviveu durante alguns anos com a família do Imperador chinês Fo-Kien.

O primeiro registro de um balão de papel, feito e lançado, foi em 1306, por ocasião da coroação do próprio Fo-Kien!

No Brasil, os balões e seus festejos, foi incorporado à cultura nacional, em 1583, originado dos portugueses, que eram praticados nos meses de maio a agosto.

Daí meninos, pintou a quadrilha, dança originária da nobreza francesa; os ritos profanos do fogo: fogueiras, fogos de artifício; os santos católicos Antonio, João Pedro; as comidas de origem européia somadas as comidas dos nossos indígenas e dos escravos africanos e outros elementos dos vindos dos italianos e espanhóis, culminaram em inúmeros quitutes tipicamente juninos, brasileiros... Essa mistura foi a perdição!, e deu no que deu: uma das maiores e mais completas festas do planeta, senão a maior, comemoradas como já disse, desde o seu início, de maio a agosto!!!! Hoje, infelizmente, é só junho, e olhe lá!

Com a dança dos nobres, pintou a nossa quadrilha “acaipirada” através dos serviçais, e, com ela as brincadeiras, que não só as crianças brincavam, mas também os adultos: pau-de-sêbo, corrida no saco, do ovo na colher, pular fogueira, os fogos de artifício e tantas outras. Vieram as simpatias para namorar,  casar e sarar de mal-olhados e doenças; para as boas colheitas... Para os santos juninos Antonio, João e Pedro, oferendas e promessas de todos os tipos. Surgiram as marchinhas juninas por volta de 1900, que falavam principalmente de balões e amores conquistados ou perdidos, tão marcantes nessas festas e na música popular brasileira.

As festas eram nas ruas ou nas paróquias. As praças e ruas eram enfeitadas de arcos de bambú e bandeirinhas de papel de seda (aquelas que o grande pintor Volpi eternizou em seus quadros). Armavam-se grandes fogueiras. Os vizinhos, cada qual em suas calçadas, preparavam  ou serviam suas guloseimas irmanadamente; era um pouquinho de cá, um pouquinho acolá, e estava formada a festa. Pintava o quentão com a nossa brasileiríssima cachaça, que esquentava os corações e as noites frias, e junto com ela as estrelas (inclusive as de papel) do amado e saudoso mês de junho daquele tempo...

Mas o que não podia faltar (podia até faltar comida), era a mágica das mágicas, a atração principal que ninguém, mas ninguém mesmo deixava faltar: OS BALÕES JUNINOS, que todos soltavam em grande profusão. Eram pequenos e coloridos, diversão certa para crianças de oito a oitenta anos!

Esse “tiozinho” que vos escreve emocionado, saudoso, porém sem nostalgia...; e outros tantos tiozinhos desse nosso Brasil, com certeza trocariam sem vacilar, qualquer coisa para que esse tempo voltasse...

Não sou contra os balões, logicamente, sou contra os balões gigantescos, principalmente os que levam fogos de estampido. Sou a favor da arte e cultura que eles nos trouxeram ao longo de todos esses anos de aprimoramento, tanto na parte técnica quanto da artística. E, com isso, muitos saíram do caminho do mal, ocuparam-se, deixando as ruas para criar algo. Outros transformaram-se em artistas renomados. E muitos  aprenderam coisas boas e cultas, tão importante nesse país que carece de boas escolas, cultura, e, principalmente memória de seus costumes, culturas e tradições.

Portanto vamos preservar as nossas tradições, a nossa cultura junina, as festa de rua (mesmo em ruas asfaltadas, faça a sua fogueirinha, basta forrar o asfalto com areia e tijolos, e pronto), e principalmente soltar em junho, como o próprio nome indica: BALÕES JUNINOS, pequenos, de seda. Com a técnica que temos hoje, inclusive com buchas a base de amianto, auto-extinguível, todos caem apagados.

Os Deuses ficarão contentes, os Santos Juninos também; as crianças e os velhinhos; os grandes artistas, mortos ou vivos, que cultuam ou cultuaram essa tradição, tais como Lamartine (o Lalá), Ari Barroso, Assis Valente, Manuel Bandeira, Ziraldo, Cony, Mário Zan, Chico Buarque, Nilton Santos, Zizinho, Pennacchi, Portinari, Di Cavalcanti, Volpi, João do Rio, Érico Verissímo, Jorge Amado, Luiz Gonzaga...,também; e tantos outros artistas anônimos por esse Brasil afora, enfim, a lista é grande...

BOAS FESTAS JUNINAS!

Quer comentar este artigo clique aqui.


COMENTÁRIOS


Turma: turma da rapa sbc
Integrante: claudio
TempodeExistencia: 21
Cidade: são bernardo do campo
Estado: sp
Recado: também queria parabenizar esta coluna maravilhosa é só o brasileiro consegue colocar um pedaço de papel no ar e se divertir com danças caipiras e festas juninas que estão acabando nos centros das cidades . odair por favor conte um pouco sobre o saudoso rei dos recorte sr.frança lá do BAETA NEVES aqueles recortes não vão existir mais não é .

Turma: Magia Acesa
Integrante: Junior
TempodeExistencia: 9 anos
Cidade: São Paulo
Estado: São Paulo
Recado: Olá amigos... Gostaria de parabenizar a pequena coluna do Odair, pessoa no qual ainda não tive o prazer de conhecer, mas como no seu livro e do Ivo, tentei página a página, viver os momentos fantásticos vividos durante todos esses anos. Ainda sou bastante jovem, mais tenho a sensibilidade dos mais velhos e verdadeiros baloeiros, com quem aprendi a fazer e soltar. Hoje infelizmente a bancada montada num pequeno quarto, ficaram prezos as paredes, apenas quadros e lembranças, nos ultimos anos, principalmente após as lei, ficou difícil soltar balões. Tenho muita vontade de tentar contornar essa situação, mas esta difícil. Gostaria muito de ver os baloeiros reunidos, para discutir uma solução, para todos esses problemas. Será que conseguiremos?! Saudações baloeiras! Magia Acesa - S.P

Turma: engenheiros da arte
Integrante: alemao
TempodeExistencia: 10 anos
Cidade: saobernardo
Estado: sp
Recado: é odair eu estive na sua casa e comentamos esse assunto da importancoa do balao junino e da magia toda especial que tem o balao junino. parabens pela coluna. abraço.

Turma: Resma
Integrante: Fernando
Cidade: Diadema
Estado: S.P
Recado: Blz pessoal gostaria de parabenizar o Odair pela Bela coluna Balao Junino e´arte é cutura Faz parte do nosso Povo vamos resgata o espirito das festas Juninas Odair um grande abraço

Turma: não tenho
Integrante: Douglas
Cidade: São Paulo
Estado: SP
Recado: Parabéns Odair ! Você conseguiu expressar com " palavras " o que o meu coração sente e tenho certeza que de muiitas pessoas também, quando, tentamos contar aos mais jovens, essa época de nostalgia, onde todos os vizinhos se reuniam, independentemente de suas condições sócio / financeira e nos confraternizávamos em " proll " dos nossos Santos, nossas crenças, nossos costumes e principalmente, pela nossa gente! Infelismente hoje, sequer damos um bom dia ou boa noite aos nossos vizinhos, não por falta de educação ou mesmo algum tipo de preconceito, é que o nosso dia à dia, através desse mundo globalizado ( palavra da moda na mídia), nos faz perder cada vez mais, o amor ao próximo, perder nossas raizes e essências e nos preocuparmos somente individualmente. Senti saudades ! Espero e acredito que as futuras gerações que estão por vir, terão o privilégio e a oportunidade de viverem o que nós vivemos, depende única e exclusivamente de nós mesmos, pois temos condições de reverter este quadro, se cada um de nós, plantarmos na cabeçinha de nossas crianças a semente do bem, mostrando o prazer e a alegria de se soltar um balão junino, com certeza iremos conseguir, porém precisamos soltar nossos balões com responsabilidade, critério e coerência, temos que ser exemplos hoje, para um futuro promissor. Obrigado Odair, você me fez relembrar de momentos de muitas felicidades da minha vida !

Turma: Turma Santa mariana & Del castilho RJ
Integrante: André almeida
TempodeExistencia: 20 anos
Cidade: RIO DE JANEIRO
Estado: RJ
Recado: Caro Odair, Suas palavras são por demais inspiradoras e trouxeram em mim o menino que se esticava na janela ou corria pra rua para ver um pequeno balão e contava os dias para ver um 3 ou 4 folhas e criava a maior expectativa pelo 5 folhas com armação que os mais velhos faziam... obrigado! saudações

Turma: Sociedade Amigos do Balão
Integrante: Humberto Pinto
TempodeExistencia: 9 anos
Cidade: Rio de Janeiro
Estado: Rio de Janeiro
Recado: Bravo! Odair. Você, com narrativa concisa, apresenta as origens, as razões e os momentos mais emocionantes das nossas tradições, do nosso folclore genuíno, da herança herdada, principalmente, dos nossos irmãos portugueses, que pelo tempo e no espaço, com suas festas típicas européias, conseguiram contaminar os corações e nos chamaram a manter, pelos anos, até os dias de hoje, esses encontros de amizade, solidariedade e fraternidade, nas famílias. Não olvidou do cancioneiro popular do "balão junino". Odair, vocè e o Ivo Patrocínio nos brindaram com: Balão! Paixão Inexplicável e hoje, para aumentar nossa força, perseveram para manter acesas as chamas das fogueiras nas festas juninas, que enchem de calor e alegria todos os que professam a cultura popular brasileira, a arte, o profano, o místico, o astro maior de todo esse ritual, o "balão junino". Parabéns!

Turma: 10 de Ouros
Integrante: Roberto
TempodeExistencia: fundada em 1980
Cidade: São Paulo
Estado: SP
Recado: Comentar os textos do Odair é muito fácil. O Odair é uma das pessoas entendidas sobre a nossa arte. Já ví muito balão dele subir e destaco alguns como o 7x7 "Beatles", o pião de 11mts no final do festival da T.da Lua, e o maravilhoso Golfier de 12mts com a "Roda Gigante" e muitos outros. Odair é também um defensor, assim como eu, do balão bonito e seguro e contra o gigantismo. Agradeço a você, amigo de tantos anos e tantos balões pelo seu empenho em dignificar a nossa arte. Pessoas como você, Humberto Pinto, Ivo Patrocínio, Bara, etc. merecem nossa reverência e um troféu pelo conjunto de sua obra e pelos serviços prestados a nossa arte. Você meu amigo, profundo conhecedor das tradições brasileiras e, por consequência, conhecedor maior da nossa arte esta de PARABÉNS por mais um texto didático, ilustrado e oportuno. Precisamos nos reencontrar para matar saudades, relembrar balões do passado e aplaudir os balões de agora. Um forte Abraço ! Roberto

Turma: ZEPPELIN
Integrante: DENILSON
TempodeExistencia: 21
Cidade: SUZANO
Estado: SP
Recado: E isso ai amigo Odair aquem tenho muito respeito e adimiração um grande baloeiro apaixonado por balão porque gostar e facil, sua coluna foi um espetaculo de informaçao como e sua vida no mundo dos balões parabens.

Turma: Não tenho turma
Integrante: Betto
Cidade: Diadema
Estado: Sao Paulo
Recado: Olá Rapaziada !!!! E ai Grande Odair !!!! parabéns pelo seu artigo.Me fez lembrar os velhos tempos !!!! Por outro lado, creio que tudo isso pode voltar, basta querermos, basta soltarmos nossos balõezinhos, pequenos com bandeirinas, fitas...enfim...que a essência nunca se perca. Respeito quem solta os balões grandes, mas prefiro ver vários pequenos nos alto, do que apenas um grande. Se voltarmos com os balões pequenos soltos á tarde, faremos com que crianças vejam, leigos que apenas vêem pela TV opiniões forçadas e mal intencionadas...vamos mostrar para todos que balão não é crime...é cultura, é festa, é alegria. Me respondam: quem não pára para ver um balão subir ??? Que saudade das tardes de céu azul, com balões fitados, pontinhos brancos...olhava no horizonte e via os pontinhos pretos...ahhhhh...as lágrimas começaram a rolar...desculpem...espero que esteja dado o recado. Abraços !!!!

Turma: XANDAO Z L
Integrante: XANDAO Z L
TempodeExistencia: 41
Cidade: S P
Estado: S P
Recado: ODAIR UM GRANDE ABRAÇO SUA FALA E O QUE NOS TODOS QUEREMOS SER LIVRES NOVAMENTE EU NASCI NO MES DE JUNHO E SEI OQUE E UMA FESTA JUNINA UM DIA COM FE EM DEUS EM SANTO ANTONIO SAO JOAO E SAO PEDRO VAMOS LEGALIZAR NOSSAS TRADIÇOES VAMOS NOS UNIR RIO SAO PAULO E CTBA E TAMBEM NO BRASIL PARA TORNAR ISTO UMA REALIDADE E PRO ARTIGO 42 SO VAMOS PARAR QUANDO O MUNDO ACABAR

Turma: Hoje, somente saudades...
Integrante: Fabiano
TempodeExistencia: Desde 1988
Cidade: Santo Andre
Estado: Sao Paulo
Recado: É.. caro colega Odair..... saudades de tudo que você inteligentemente escreveu em seu magnífico texto. Você não deve lembrar de mim pelo nome, mas sei onde você mora (se é que não mudou desde a última vez que nos vimos... acho que foi em 1998... quase dez anos.... quando fui até sua casa para cortar um truff de 20m... Mas, sem detalhes pois hoje em dia você sabe como as pessoas estão com relação ao FOLCLORE que meu pai graças a Deus me ensinou (exatamente como no seu texto)... Lembro dos tempos do Gisela (putz, que emoção... meus olhos enchem de lágrimas só de lembrar) dos pequenos juninos que ali assisti a soltura e que me deu a paixão que possuou hoje pelo balão... Pena que nao temos mais tal situação, hoje com duas filhas, tento passar a mesma emoção que senti em meus tempos de criança, mas jamais será igual... escrevo jamais pois eu não consigo ver e sentir a certeza de que essa história será revertida, gigantismo (gosto) mas infelizmente só traz desgraça mesmo que com toda segurança que os profissionais adquiriram (sei de alguns que até hoje tenho contato)... Na minha época, fio dental, durex, boca de encaixe.... isso não existia, era o Rami CIFA. cola para cintar e boca colada... como meu pai me ensinou.... claro as coisas se modernizam e com elas vem os desafios (gigatismo) que novamente escrevo infelizmente pois isso é a evolução do ser humano, como o fogo no passado foi com o riscar de duas pedras (hoej temos o isqueiro) e isso é natural.... o parto normal (a famosa parteira) hoje em dia você programa o dia e hora do seu filho nascer.. isso é evolução... mundo moderno, etc... porém quero deixar meu registro de que temos de fazer as autoridades e mídia (principalmente a Rede Globo) acordar que eles não podem perder o passado, pois hoje em dia tudo gira em torno do maldito dinheiro.... que faz as pessoas se degladiarem desrespeitando os valores que nos foram ensinados.. não vou entrar em filosofia de vida pois hoje cada um tem a sua, mas não podemos esquecer que o passado NINGUÉM consegue mudar, as origens são imutáveis, os folclores fazem parte da história e temos de passar isso a nossos filhos... bem meu caro Odair, seu que você está e sempre estará fazendo parte de nosso mundo aqui e em outras vidas.... você e a saudosa Turma da Luam, me trouxe muita alegria na minha infância/adolecência.. por isso deixo um forte abraço a você e toda sua família. Que Deus ilumine você para sempre, seja aqui ou em outra geração.... Saudações... Fabiano.