Clique Aqui para conferir outros depoimentos



 

LAPIDADO DE 18 METROS.
Adrielson e Muitos Amigos.

FICHA TÉCNICA: 

Nome da Turma: Não tem. Adrielson & muitos amigos.
Modelo do Balão: Lapidado.
Molde: Lapidado Naja 2.
Tamanho: 18 mts.
Quantidade de Gomos: 60 gomos.
Largura Máxima: 60 e poucos cm.
Bainha de Fechamento:  1cm.
Papel Utilizado: Seda.
Cintamento: Durex e fio dental.
Respiros: Nenhum.
Fechamento: 1 “Fio Dental” branco boca à bico.
Cola: Aproximadamente 1 litro.
Diâmetro de Boca: 1,65 mts.
Tamanho da Bandeira: 15,80 X 23,60 (com as bainhas e cortes).
Tamanho dos Tacos: 8 cm.
Bainha da Bandeira: 1 cm.
Antena:  Flechas. Tamanho: 16 mts; largura: 1mt.
Cabresto de Boca:  3,5 mts em corda de polipropileno.
Cabresto de Antena:  Fitilho ; 40 mts.
Adereço: Pandeiro em isopor (42 cm de diâmetro) e Triângulo.
Bucha: 
SEM BUCHA. SEM FOGO. ECOLÓGICO
Projeto do Balão: Rafael Gêmeos.
Projeto da Bandeira: 
Rafael Gêmeos.
Tempo de Confecção: Somados somente os meses de trabalho, uns 8 meses.
Data da Soltura: 11.01.14

INÍCIO DE TUDO: 

Com a proibição e repressão aos balões com fogo, resolvi parar de vez em 2009, até mesmo porque foi um ano em que muita coisa deu errado em minha vida. Porém, graças ao brilhante trabalho da SAB e demais associações, os ecológicos foram ganhando força e consequentemente crescia a vontade em voltar a confeccionar um balão. Estando DENTRO DA LEI, resolvi pensar em fazer um ecológico e comecei a pensar no que seria. Por ser um balão onde a maior parte tem que ser preto, pensei que seria muito interessante fazer algo relacionado ao degradê desta cor, ou seja, os tons de cinza. Alheio a isto pensei que por ser nestas cores, seria perfeito se escolhesse personagens da época em que filmes, TV, tudo era em preto e branco. Preferi personagens cômicos, que transmitissem a alegria, tendo em vista que considero balão como sendo isto, ALEGRIA. Daí surgiu a idéia de “Alegria em preto e branco”. Fui ao Rafael com algumas imagens e na mesma hora começamos a escolher mais outras. Estava surgindo o projeto. Em mais uns dias ele me enviou o projeto e eu achei que ainda faltava algo, pois só havia os rostos no meio, sendo dimensionados pelo rolo de filme. Foi então que tive a idéia de jogar os filmes para o teto e boca, além de colocar aquele 18 perto da boca com micro tacos de 1,2cm e vazados (risos).

CONFECÇÃO: 

A confecção foi algo meio que surreal. Mudei de estado, fui pra muito longe mesmo, onde não existe sequer folha de seda. Comprei tudo e enviei para onde iria morar, via correios. Comprei o material da bandeira e deixei com um amigo que iria cortá-la no RJ, porém o mesmo passou por um grave problema de saúde e daí outros dois amigos R. e D. (da E.A) se prontificaram a pegar para fazê-la. Enquanto isso, eu montei uma “enorme” bancada de 3 mts onde fui morar e comecei a confecção do balão, que foi feito em 6 cones. Trouxe no avião 3 cones e mandei outros 3 via correio para o RJ. Ao chegar, junto aos amigos A. (Turma da L.) e T. (TNA) a união dos cones foi feita, isto em apenas dois dias. Neste tempo a bandeira também já estava pronta, assim como a antena. A boca me foi presenteada pelo amigo pescador A. (A.N).

SOLTURA: 

Normalmente, sempre fico tenso em dias de soltura. Neste, não poderia ser diferente, porém houve um agravante, pois os amigos que estavam com a bandeira se atrasaram e tiveram dificuldades no transporte. A cabeça parecia que iria explodir, principalmente quando cheguei ao campo e vi que já estava maior “solzão” de fora. Tudo foi montado de forma muito rápida e em poucos minutos o junino já estava de pé e a antena montada e esticada no campo. Quando ficou cheio é que deu para presenciar o baita visual que o mesmo estava dando. Muitas pessoas deixaram de ir ver, pelo fato de ser ecológico e pensarem de se tratar de um balão simples (com a totalidade quase preta), além de ser considerado um local distante para muitos (50 km do centro). Porém eu pensava apenas em um local que não tivesse o costume de ventar e que não fosse rota de helicópteros de TV que insistem em denegrir a imagem do balão, mesmo este sendo ecológico.

EMOÇÃO: 

Difícil descrever, pois é totalmente diferente. O balão subiu até a antena e pegou uma brisa que o fez murchar. Arriamos, demos pressão novamente, e o soltamos. Se fosse com fogo como iria se arriar um 18 mts? Isso sem falar que o céu era aquele mais desejado por qualquer um que goste da arte: azul e sem uma nuvem sequer. O bichinho foi arrastando, ameaçou cair por causa da brisa no alto, mais depois estabilizou e meteu o pé.

RESGATE: 

Um amigo do RJ foi até Aparecida/SP e desistiu após pegar chuva, isto por volta das 14:30hs. Porém já soube que o pessoal de resgate de SP perdeu o balão (alto ainda) quando anoiteceu na Fernão Dias.

CONCORREM EM ALGUMA PREMIAÇÃO:

Que eu saiba não. E torço para isto também, pois não sou adepto a concorrência e sim a alegria de se soltar balão.

AGRADECIMENTOS:

Sempre a Deus em primeiro lugar e a todos amigos que ajudaram direta ou indiretamente. Ninguém faz nada sozinho. Até aquele cara que está ali no campo e ajudou a puxar uma linha do cabresto, já contribuiu.