Clique Aqui para conferir outros depoimentos



 

Modelado 14 metros.
100 K-Ô - RJ.

FICHA TÉCNICA:

Nome da Turma: 100 K-Ô Jacarepaguá / RJ.
Modelo do Balão: Modelado.
Molde: GK 2.
Tamanho: 14 Mts.
Quantidade de Gomos: 48.
Largura Máxima: 60.8cm.
Bainha de Fechamento: 1 cm.
Papel Utilizado: Seda (Vazado).
Cintamento: 40 cintas.
Fechamento: Fio Amarelo (1 por Gomo).
Diâmetro de Boca:  1.32mts.
Tamanho da Bandeira:  23 X 31mts.
Tamanho dos Tacos:  10cm.
Bainha da Bandeira: 0.5cm.
Antena:  Flecha encapada  23.80 Mts. 
Cabresto de Boca:  4/5Mts (cetim). 
Cabresto de Antena: 56 Mts (Fitilho).
Adereço: Pandeiro.
Projeto do Balão: Joedir/ RJ.
Projeto da Bandeira: Marcelo Evolução/ SP.
Tempo de Confecção: 9 Meses.
Data da Soltura: 28/12/2014.

INÍCIO DE TUDO:

Eu (Fabio) achei essa bandeira no Blog do Marcelo (Evolução) a venda, me interessei e peguei. Ela ficou guardada algum tempo, quando então junto ao Velho (Adilson) resolvemos fazê-la. 
Como havia mudado e a minha nova residência estava bem distante da bancada resolvi trazer o material e taqueá-la em casa onde improvisei uma mesa de 80cm de comprimento (dentro do meu quarto) para fazê-la.
Como havia muitas cores e pouco espaço todo dia era aquela p* Zona no quarto. Dava mais trabalho pra montar, desmontar e arrumar a bagunça do que taquear uma ou duas faixas que fazia por dia. 
Assim, consegui taquear dois cones da bandeira, onde parei para mexer no balão (Projetado pelo Joedir), sendo os demais dois cones taqueados na bancada com a ajuda do velho após o término do Junino. 

CONFECÇÃO:

Com a dificuldade de conseguir alguém para riscar o nosso Junino, resolvi eu mesmo riscar. Como não havia riscado nem balão de menor porte antes, fiquei com um pouco de receio no começo. Foi demorado (por falta de prática), mas aos poucos foi saindo. Todo dia de folga estava eu aproximadamente as 7:00  na bancada (houvesse Sol ou chuva) onde ficava até as 22:00 hs.  Assim riscava tirava os moldes, cortava as peças e o Velho "coloria" os gomos no decorrer da semana.
Voltamos para a bandeira (após o balão pronto) onde foi a pior parte.  Mais próximo do final do ano (Verão 40°) bancada sem ar, sofremos colando todos aqueles tacos soltos. Chegamos a pensar que não conseguiríamos soltar o balão em 2014, mas com muito esforço conseguimos. Chegou uma fase que eu saia do trabalho ia pra bancada a noite e pegava até amanhecer, quando tomava banho café e retornava pra batalha. O Velho foi um monstro também, fechou e cintou toda bandeira praticamente sozinho, além de taquear um cone também.
Um dia antes da soltura estávamos unindo os cones da bandeira com ajuda dos amigos da Arrepio-Jpa. Essa altura os demais detalhes já estavam prontos (antena, cabrestos, adereços, bucha e etc). Ali foi o momento que respiramos e tivemos certeza que tudo estava pronto. 

SOLTURA:

Com um sábado maravilhoso com junino no campo pela manhã e a noite, após retornarmos da armação da Grama ouvimos que haveria outros balões domingo no mesmo campo. Assim resolvemos subir cedo pra garantirmos um lugar bacana pra colocarmos a nossa antena e passamos a noite no campo (Eu, Adilson e um colega) Aquela altura isso era apenas um pretexto, já quem não conseguiríamos pregar os olhos tamanha a ansiedade.

Por volta das 05:40 enchemos o balão e é nessa hora que só quem é baloeiro sabe a emoção de ver aquele (bichão) que tanto fizemos para dar certo pegar forma e mostrar cada detalhe que confeccionamos com tanto afinco.

EMOÇÃO:

Difícil medir em palavras. Só quem é sabe. O balão faz parte das nossas vidas e por ele abrimos mãos de tantas coisa que é difícil quem está de fora entender. A superação foi à lição que levamos desse projeto. 

RESGATE:

Ao que parece após quase quatro horas no alto e passear pela região dos lagos Fluminense, voltou em desceu em São Gonçalo. Pra variar os índios moeram, mas parece que a bandeira pegaram inteira e o balão estão tentando restaurá-lo. Quem souber mais detalhes do resgate, favor postar. 

CONCORREM EM ALGUMA PREMIAÇÃO:

Na verdade todos gostam de ser reconhecidos pelo seu trabalho. Independente de ser um troféu ou apenas um aperto de mão e parabenizar pela superação e amor ao balão. 

AGRADECIMENTOS:

Primeiramente a Papai do céu que abençoou a nossa soltura, a minha esposa pela bagunça em nosso quarto e por respeitar o amor que sinto pelo balão, aos amigos da Arrepio, Joedir, Marcelo evolução, Zé (pela boca) Washinton  Taz Mania ,T. Fagulhas e os demais amigos que ajudaram na soltura. Um forte abraço da família 100 K-Ô Jacarepaguá/ RJ.